quarta-feira, 11 de junho de 2008

Democracia putzgrilense

Essa rádio de fato surpreende. Além de ser a mais Rock'n'Roll é também a mais democrática. Se o os amigos se derem ao trabalho de descer um pouco pela página verão lado a lado um texto da extrema-direita (na direita) e um da extrema-esquerda (na esquerda).

E já que o assunto é esse, queria colocar aqui algumas considerações sobre política. Imagino nossos amigos defensores ferrenhos do capitalismo selvagem, daqueles que pensam no lucro a qualquer preço. Estes amigos, sofrem de uma síndrome causada pela ganância momentânea: ou seja, não conseguem abrir a linha do tempo em suas mentes.
Depois de anos pensando apenas no seu lucro, esses senhores (que não passam de 200 em todo o Brasil) conseguiram deixar o povo em tal estado de miséria que qualquer um que lhes desse uma migalha seria considerado o todo-poderoso salvador. Eis que surge o cara: Luís Inácio Lula da Silva. O que ele fez? Deu migalhas. O que o povo acha disso? Para ilustrar vou dar alguns exemplos de como o cara conseguiu entrar a fundo no imaginário popular:

- Buraco numa rua da periferia de Joinville. Lá vai a equipe da imprensa. Na chegada os moradores já se aglomeram e uma senhora diz: "tem que mostrar essa pouca vergonha. Se o Lula vê uma coisa dessas ele resolve na hora".

- Caso de um crime de pedofilia numa cidadezinha do interior que a polícia se nega a investigar. Lá vai a equipe da imprensa. O que a mão da criança diz? "Tem que fazer chegar no Lula isso aqui. Ele tem que ficar sabendo para tomar uma providência".

- Uma equipe de biólogos e pescadores luta contra a pesca predatória numa pequena comunidade do litoral. "Nós já solicitamos até ao presidente que tomasse alguma providência".

Pois bem. Os senhores super-capitalistas vão à imprensa todo o dia protestar contra o presidente e seus "comunistas" que estão no poder. Mesmo assim, nunca ganharam tanto dinheiro em toda sua vida. O que nos leva a crer que sua maior preocupação não é o lucro, e sim que o povo fique cada vez mais distante dos seus condomínios de luxo e carros importados.

P.s.: O ódio de classe fica ainda mais nítido se considerarmos que o governo Lula é um dos que mais beneficiou os latifundiários, os grandes empresários, os especuladores da bolsa de valores, os investidores externos......

8 comentários:

Nega disse...

Sou contra a desordem,à falta de limites,à desconsideração com o ser humano,se isso é ser de extrema-direita, esta será minha posição.Acho que os absurdos atualis de sem-terras destruindo e invadindo lugares e coisas que não lhe pertecem é injusta!Para ser bem-sucedido tem que dar o sangue,já q n hã outra maneira.Tem q estudar sim,trabalhar sim, e ir atrás dos seus ideais,já que o governo não proporciona,n adianta sentar e reclamar dele, a lei é cada um trabalhando e fazendo por si!
Ana Cristiana Jaques

Piti disse...

leeleleleleellele!!!

Bom né, tenho q me pronunciar!
Parar pra pensar e se perguntar o porque de os sem-terras invadirem terras e fazendas e coisa e tal, alguem ja fez isso?? Só se questionar o porque das situações tomarem esse rumo??? Podem ter certeza de que os sem-terra não cometeriam tamnah injustiça (que eu não acho q seja injustiça, mas sim luta!), se eles já não tivesem passado por injustiças mil vezes maior!!! Nada é por acaso, se hj essas pessoas não tem condições diganas de vida e lutam com suas proprias mãos pra garantir o minimo de direito que lhes cabe não é por que acham bonito ou gostam de fazer baderna ou acham legal sair invadindo terras por ai só pra aparecer no noticiario da globo como marginais!!!
Acredito que temos que pensar mais, nos questionar mais, não aceitar opiniões que são praticamente impostas por uma classe que jamais vai lutar pelos ideais e melhoris de vida dos trabalhadores!!!
Vamos nos assumir como classe trabalhadora e pensar a partir dai. Eu penso que é contraditório demais a postura de direita de um trabalhador.

Piti

Sílvio disse...

Quanto aos sem terra, convido qualquer um a pegar um avião e sobrevoar o nosso Brasil para constatar e confirmar a imensa quantidade de terras sem uso...eu confesso que fico transtornado cada vez que faço isso... agora será que isso tem influência no desemprego e fome do nosso país ? Vamos refletir um pouco. Agora estamos no meio do furacão do governo yeda, vamos ver o q vai dar, mas é necessário fazermos a nossa parte e ir pra rua, além de pensar vamos também agir !

Sílvio.

Anônimo disse...

Companheiros dessa tão estimada rádio cabe mais alguns esclarecimentos acerca dos Movimentos Sociais que estão em voga nessa secular pauta, não somente em se tratando das atitudes mas tentando vislumbrar as causas que levam qualquer movimento de massa a executar as únicas formas viáveis de protesto. Aqui deixo claro que seria de extrema valia se algum baderneiro/acomodado pseudo-crítico primeiro desse uma olhada ,no youtube, na entrevista do companheiro João Pedro, entrevista essa que foi concedida no penúltimo episódio do canal livre. Dali com certeza sairão inúmeras explicações, cabe a cada um crer ou não, mas fica aqui o apoio formal de realidade do que o mesmo falou. Mas tentando sintetizar o que o movimento idealiza me arrisco a dissertar sobre tal assunto. Primeiro: quem tentou esculhambar com o MST foi o governo FHC quando dissolveu a EMATER para poder cumprir acordos com fundos como o FMI e o BIRD, mais, passada tal fase ficou claro o total desleixo dos órgãos públicos de todas as esferas para com os intergrantes de movimentos revindicatórios, fazendo um adendo de extrema relevância cito aqui também os que pertencem aos movimentos de opoio aos pequenos consuetudinários que em muito dependem do auxílio do governo, seja para auxílio tanto quanto para adequação. Sem os órgãos responsáveis pelo auxílio a baderna se instalou, e essa era o objetivo do governo de direita do senhor FHC, explico-me. Quando existia a EMATER a verba, peguemos os exemplos dos agrônomos, era repassada diretamente para os órgãos estatais para que os mesmos disponibilizassem tais serviços com o sepultamento de tais órgãos o dinheiro é repassado ao movimento para que o mesmo contrate outras empresas privadas para permutar tal auxílio. Isso é um dos motivos que a rede globo mais cita para qualificar o mst de marginal, senhores da esbórnia... Mas é mister ressaltar que as contas do mst sempre foram aprovadas e nuca levantaram dúvidas dos destinos que os mesmos davam ao capital repassado pelo governo federal. E mais, as partes integrantes não tem de se curvarem a uma sede nacional pois cada núvleo é autônomo o suficiente para poder fazer qualquer forma de protesto que julgue necessário. E a saber: o capital que o mst dispõem é oriundo em grande parte dos projetos sociais de outros países e de suas respectivas ong's, cito aqui a Alemanha e a Espanha como dois dos principais filantrópicos do Movimento Brasileiro. E mais, aqui também fica claro que o MST desenvolve projetos com entidades de diversos países para que haja um intercâmbio das lutas populares, e também o MST é um dos projetos sociais mundiais que mais conseguiu glórias no exterior e daí derivaram-se diversos incentivos, através de investimentos diretos e de repasses vultuosos ao MST. E também é ideal ressaltar que o MST não é contra o agro-negócio e sim o moviemnto é contra os moldes dados a tal projeto na atualidade, pois o MST precisa apenas de saniamento escolas e técnicos para poder tocar os seus projetos ele não precisa de verba estatal. Com essa "crise" de alimentos que se instalou no mundo fica fácil de imaginar o poder de barganha que teriam as cooperativas do trabalhadores sem terra, e não somente em barganhar preços melhores mas também na qualidade de ensino e vida que os mesmos poderiam oferecer a seus integrantes, nesse caso até cabe um pouco de humor: se eles dizem que os trabalhadores sem terra se procriam como ervas daninhas porque tiraram deles uma das poucas formas de o movimento trazer grandes resultados, não somente para eles mesmos mas também para o Brasil quanto nação? Em relação a prêmios e verbas do MST basta uma consulta no site do mesmo. E quanto a viabilidade dos projetos apresentados pelo MST basta uma conversa com alguém que tenha a compreensão acerca das produtividades das cooperativas bem administradas, ou também uma pesquisa de como se desenvolve uma vila senão com a junção e futura luta dos que de tal pedaço de terra dependem. E aqui dando linhas finais a esse apoio vos digo, em todas as invasões do MST os objetivos foram os mesmos, ou seja, a destruição das sementes modificadas, pois as mesmas somente funcionam com a adição de algum tipo de pesticida e as sementes da colheita não podem ser guardadas para uma nova plantação, em todos os casos tais fertilizantes dão nome as sementes, isso nos leva a crer que qualquer dessas empresas levam sempre uma parte do trabalho daqueles que realmente estão produzindo. E tal processo foi instaurado mediante a destruição das sementes crioulas que nada mais eram do que a adequação das sementes as condições oferecidas por tais terras onde eram plantadas, e mais não se pagava nada a ninguém por utilizar tais plantas. E por último será que vale apoiar empresas estrangeiras que somente se apoderam do nosso capital e ainda provocam a produção controlada e a futura destruição e assoloamento da terra e ainda depois elas vem mascaradas querendo plantar eucalipto já que a terra está esgotada mesmo? Ou será necessário um enfrentamento realista contra as políticas de exclusão socil? Acho que a reposta está na cara de indignado com que cada integrante quebra um vidro de uma instituição burguesa que apenas se apropria do excedente que deveria ser dele e do povo dele. Ademais espero ter contribuído para tal debate, abraços do companheiro.

Seu Cossio disse...

O bom é que tirar onda tira a galera do marasmo.... Filosofia Raulseixista de luta!!!!

Sabrina Kwaszko disse...

O problema(pra mim) de diversos movimentos e grupos no Brasil não é a proposta e sim o caráter dos envolvidos.
Conheci um cara que quando consegue um terreno e casa pa$$a pra outro e se engaja junto com outro grupo para fazer novamente a mesma coisa, e ae?!

Anônimo disse...

Essa questão levantada pela Sabrina é de suma importância, mas claro que seria interessante ressaltarmos que é a minoria que pratica esse tipo de coisa e mais, muitas vezes pratica porque de nada adianta lhe darem um pedaço de terra e nenhuma inchada, nenhum auxílio, o que nos remete ao que eu escrevi no 4 comentário dessa série. Mas isso pode ser resolvido facilmente, além de ser fomentado um horizonte poder-se-ia tomar a revolução agrária pelo molde da feita no japão ou seja, a terra não seria doada e sim emprestada para uma produção mínima, claro que com o devido comprometimento integral do estado, para que os proprietários tivessem metas de produção conjuntas. Daí acabariam-se todos os problemas de ordem de permuta de doações estatais. Mas o grande mote da questão é o vislumbre de ganho e serventia que a mesma terra pode trazer a quem nela vier a trabalhar. De nada adianta querer pensar que as pessoas vão ser motivadas apenas pelo ganho de um pedaço de terra. tem uma frase clássica do companheiro Bertoldo Brecht que diz: " O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo." E para completar tudo isso o mesmo ensaísta diz ainda algo sobre a verdade: "Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso."
A questão que envolve o MST não é a pormenorização dos seus atos e sim a importância de tal moviemnto frente as investidas do modelo de dominação capitalista, e para dar fim e lembrar de um frase do companheiro Raul, frase essa já citada pelo companheiro seu cossio em postagem anterior, "É preciso cultura para cuspir na estrututa."
Adiante fica aqui o abraço do companheiro.

Gaucho Porteño disse...

Acho que o amigo anonimo sintetizou muito bem a situação, concordo com vc, muitas vezes cobramos uma postura mais energica da sociedade frente as maselas do país, aí quando temos um movimento que cobra, luta o que nós fazemos?? o criticamos por isso influenciados pela grande midia, comandada pelos barões do país..ou vcs acham que seu bilionário Eike Batista deu sorte ao achar aos 24 anos um veio de ouro em terras da Amazonia sendo seu pai presidente da vala....Um grande abraço a todos.