quinta-feira, 26 de junho de 2008

O espaço é democrático, né? Então vou falar.

Notícia publicada na Folha Online de hoje: "Obama rejeita decisão da justiça sobre pena para estupro de crianças"

O quase-futuro-presidente acredita que o estupro de crianças pequenas é um crime hediondo e merece punição severa, e sem que a atitude possa ferir a Constituição. Também o candidato republicano McCain discorda da decisão da Suprema Corte.

A arbitrariedade está em atribuir maior gravidade ao ato por se tratar de violência contra crianças. Não estou dizendo que não é mais horroroso, evidente que choca muito mais pelo fato de as crianças serem incapazes de se defender. O que me preocupa é que a decisão sobre a vida e a morte dos criminosos fique por conta de tratados que se baseiam em critérios relativos. A tendência é que se estabeleça um manual de regras para matar o sujeito, segundo o que determinadas pessoas pensam sobre os atos por eles cometidos. É sabido que na maior parte dos casos, a mente do estuprador é doentia, eles têm, sim, doença mental (como psicopatas), que afetam a parte do encéfalo que coordena as noções de moral e comportamento. Calma, não estou defendendo os estupradores. Nem os psicopatas. Sou sim, extremamente contra, a pena de morte, por quaisquer que sejam os motivos. Acredito que a morte do sujeito não devolve nada a quem sofreu a violência, não traz consolo nem conforta as famílias que perderam parentes, mas o principal, não evita que novos crimes sejam cometidos. Homicídio é crime, não importa se cometido por um marginal, uma pessoa 'comum' ou um agente federal, sob a tutela do Estado. Pagar uma morte com outra é nunca romper o ciclo. É perpetuar as relações de opressão, em que o mais forte vence. Legitimar a execução é incentivar o pensamento arcaico do 'olho por olho, dente por dente'. E se o governo pode, quem vai condenar moralmente o cara que mata pra vingar a morte de alguém? Porque o poder supremo do Estado é inquestionável? Foi legado por Deus? E se Deus não existe, serão os agentes dos governos a expressão máxima do poder no mundo?
A função do Estado é manter a ordem e evitar o caos social. Mas a que preço?

Desculpem o desabafo.

7 comentários:

Seu Cossio disse...

Se estuprassem um filho meu eu não ia querer delegar minha vingança para o Estado. Muito menos matar o estuprador. Ia contratar uma prostituta com os dentes bem afiados para fazer um boquetinho no cara....

Anônimo disse...

Casos de crimes contra vida,o Estado deve promover revide imediato sem dar chances a reincidências...eliminem o problema.simples assim,não dá mais pra dizer que é a sociedade a culpada por crimes hediondos o culpado sem dúvidas é o "ser"humano em seu livre arbítrio...portanto fez....será feito

Anônimo disse...

O ser humano é estranho mesmo, se isso acontecesse com um filho meu com certeza eu mesma iria querer matar o dito cujo. E se houvesse pena de morte no Brasil talvez nossas cadeias não estariam superlotadas e não correríamos o risco de devolver a sociedade um assassino que fez escola e pode fazer novas vítimas. Eu sou a favor da pena de morte para crimes ediondos sim, acho que ás vezes a "justiça divina" demora muito

Piti ==>> a luta continua.... disse...

Acredito q todos nós estejamos desecreditados, cheios de tanta injustiça, falta de segurança, de toda essa bagunça que está instaurada.... mas de verdade não vejo na pena de morte a saida e/ou solução para todos os problemas, incluindo crimes barbaros...
Penso q todos nós temos responsabilidades sobre o q acontece, afinal a sociedade não passa de um grupo onde cada um tem seu papel e dever...talvez se nao fossemos tao egoistas e individualistas as coisas seriam diferentes...
ontem conversando com a Mire filosofavamos sobre o q nossas profissões (serviço social e arquitetura) tem a contribuir para a transformação social, e entranmos em consenso de que todas as areas podem devem voltar-se para a qualidade de vida coletiva.... nao sei se to viajando demais, mas defendo q se cada um trabalhar tendo como objetivo a melhoria da qualidade de vida do outro e tb a sua acho q nao seria necessario discutir a validade da pena de morte...
de verdade?? nao sei como reagiria se algo de ruim acontecesse com minhas irmãs, meus pais... nosso isntinto hj nos diz q temos nós mesmos q fazer a 'justiça' acontecer por nosso sistema estar totalmente desacreditado.....


bj pra quem é de bj
abraço pra quem é de abraço
Piti

Morrendo lentamente disse...

Também sou contra a pena de morte.
Mas lembremos que ela pelo menos evita que o determinado cidadão que cometeu o crime se torne reincidente.
Entretanto, conforme foi defendido, gente q estupra criança é doente, então precisa de medicamento e tratamento e não de morte.

Rafael Terra disse...

Bem legal teu blog! Visitarei mais vezes :)

Sabrina Kwaszko disse...

Não sei se as pessoas q são capazes de atentar contra inocentes são realmente doentes... parece que determinadas situações faz saltar pra fora um lado obscuro que parece momentaneamente gerar um prazer neles(as).
Acabei de ler uma notícia que em cordobesa de General Deheza/Argentina, quatro jovens atearam fogo em outro com retardo mental que felizmente não morreu!

Isso me fez lembrar uma cena horrorosa onde também 4 ou 5 jovens acorrentaram outro também com retardo mental, este chorava muito enquanto os outros riam sentindo prazer!
Eu procurava a chave desesperada mas não me entregavam pareciam gostar de vê-lo sofrendo! Até q tive q chegar ao extremo de dizer que saíria pra pedir socorro assim consegui a chave de volta para soltar o pobre.
Pessoas q não eram nem criminosas, nem doentes mentais ou qualquer coisa que supostamente pudesse justificar tamanha barbaridade.