sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Homenagem ao Pai

Quinta-feira, 21 de agosto de 2008, Jaraguá do Sul.

Há exatos 19 anos, Raul Santos Seixas pegou seu disco voador e deixou este planeta à mercê de seu destino.
Eu, bêbado solitário anarquista, não podia deixar passar em branco tal data. Perdido depois da curva do fim do mundo, resolvi jogar uma sinuca no Bar do Buda, ao que tudo indica, lugar dos bons malucos da cidade.
Um bom sinal já na entrada. Escada com escritos de caneta "Bem vindo á psicodelia". No topo da escalada, uma mocinha avisa:

- Hoje tem que pagar R$ 4 de couver artístico porque a banda "Baú do Raul" vai fazer uma homenagem aO CARA.

Na boa, parece que nasci ontem. As seis mesas de sinuca, o balcão, as cadeiras e as paredes forradas de adesivos são mais aconchegantes que qualquer útero materno.
Uma partida para esquentar. 2, 3, 4, 5 partidas e o pessoal começa a tocar.

"Você é um pé de planta que só dá no interior..."

Meu deus, os caras vão tocar só lado B! Não só perdôo, como canto a todo pulmão Meu amigo Pedro e Cowboy fora da lei. Depois de Aquela Coisa não me agüento:

- Ô camarada! Eu toco numa banda tributo ao Raul lá em Porto Alegre. Posso fazer um som com vocês?

O vocalista, que é parecido com o chefe Zanatta, e em conseqüência com o Raul, retruca:

- Só se for um blues!

Vâmo simbóra!

"Estou sentado em minha cama, tomando meu café pra fumar..."

Já deu para imaginar? Emoção total nos bêbados. Umas 30 pessoas fazem a festa. A única mesa que tinha bolas rolando para pra curtir o som.

Vâmo simbóra!

"Nunca se vence uma guerra luntando sozinho...."

Mais alegria. Onde é que eu estou mesmo? Na lua, em marte, em Anarquilópolis de braço dado com O PAI, que me passa um trago de conhaque.
Chegou a hora! Chegou a hora!

"Viva!
Viva!
Viva a sociedade alternativa!"

Os bêbados ficam sérios. Gritar esse refrão exige responsabilidade. Tem que ter cultura para cuspir na estrutura.
Eles não agüentam a pancada e se manifestam. A censura!
Dois policiais civís à paisana, que viram tudo acontecer, intimam o dono do boteco, Buda em pessoa. Dois segundos depois some o som do microfone. Eu, com o violão desligado, sigo tocando:

"Viva!
Viva!
Viva a sociedade alternativa!"

Rodrigo Raulzito, com a língua mais enrolada que papel higiênico, pega o microfone e aumenta o som:

- Aí galera! Bateu a fiscalização. Fudeu na nossa. Vamos ter que vazar.

Caralho! Filhos da puta! Há 19 anos O CARA morreu e a merda continua exatamente a mesma.
Tudo bem. Enquanto houver resistência retornaremos ao útero do Rock'n'Roll. Pelo menos voltei pra casa de alma lavada.

PAI, DESCANSE EM PAZ!

6 comentários:

marcos etanóis disse...

enquanto lia, imaginava a cena...
fiquei sem palavras!!
aí cossio, é nóis!

mãe disse...

esse é o murici...bjooo e aí vem para festa?

Sabrina Kwaszko - Putzgrila disse...

eu ando na cabeça com: Agora eu também vou reclamar!

Salve Raulzito!

Seu Cossio disse...

Mas é óbvio que vou na festa!

bolivialivre disse...

esse é o cara do raulseixismo...abraço irmãozinho!

Mire disse...

Eles não podem parar o rock'n'roll!
Vivaaaaaaa!!!